Ao contrário do que diz a Unick Forex, SA Capital não tem terreno no valor de R$ 750 milhões

45


Record TV alerta sobre calote da Unick Forex e dá orientação sobre pirâmides financeiras
Fernando Lusvarghi, à direita, Danter Silva, no centro e Leidimar Lopes, à esquerda (Foto: Reprodução/Youtube)

A S.A. Capital, empresa que deveria garantir os investimentos dos clientes da Unick Forex, afirmou, em nota publicada na segunda-feira (07), ter um terreno em GO avaliado em R$ 750 milhões, que poderia ser usado para cobrir qualquer dívida da empresa. A realidade, no entanto, pode ser bem diferente.

No comunicado publicado no site oficial da S.A. Capital, a empresa disse ter fornecido patrimônio imobiliário localizado em Goiás, “com valor geral de vendas superior a R$ 750 milhões, para fazer frente à qualquer dívida, presente ou futura, que o projeto Unick venha a ter com quaisquer um de seus clientes.”

A S.A. Capital também afirma realizar “serviços de intermediação de cobrança e pagamentos com relação aos produtos e comissionamentos” para a Unick Forex desde agosto de 2017.

A realidade

A S.A Capital, que era anunciada como uma Sociedade Anônima brasileira de capital fechado atuante em diversas partes do mundo, não passa de uma empresa limitada com dois sócios: Fernando Lusvarghi, diretor do departamento jurídico da Unick Forex, e Isabel Cristina Martinho do Prado.

O terreno, que era usado como uma suposta garantia dos investidores da Unick, é o “Loteamento Eldorado de Brasília” de mais de 2 mil hectares, que fica no pequeno município de Cristalina, em Goiás, o qual teria anuência de empresa chamada Pacífico Sul empreendimentos imobiliários. Isso ao menos era o que constava no contrato que a Unick faz com seus investidores.

Contudo, esse terreno pertenceria a uma empresa chamada Imobiliária Goiás, a qual teria como dono Didino de Melo e esposa.

Além dessa contradição, há um comprovante de pagamento de IPTU veiculado pela própria Unick em que se mostra que o suposto terreno pertencente à Pacífico Sul empreendimentos imobiliários era de apenas 360 m², o que não chega a nem 1 hectare de terra.

Nenhuma dessas duas empresas, entretanto, compõe o grupo econômico representado pela SA Capital, na qual a única companhia do setor imobiliário é a Quadra empreendimentos imobiliários.

A empresa Pacífico Sul empreendimentos imobiliários que seria a anuente do contrato de fiança entre a SA Capital e os investidores da Unick possui como único sócio José Alexandre Noronha. Noronha é também o detentor do domínio do site da SA Capital.

Nesse comprovante, consta que as terras em Cristalina (GO) não chegam nem a 1 hectare

Diário Bitcoin buscou alguma relação de Noronha ou da Pacífico Sul com a Quadra empreendimentos e nada foi encontrado.

Unick segue sem pagar ninguém

A Unick Forex já está há pelo menos quatro meses sem realizar saques dos investimentos do clientes. A cada semana, novas promessas são feitas pelos diretores da empresa, que continuam sem resolver nada.

A sede da empresa, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, já foi alvo de protestos de clientes. No Reclame Aqui, milhares de reclamações acumulam sem nenhuma previsão de solução.

A empresa também vem sendo alvo de diversos processos na justiça por todo o Brasil.

Para tentar mitigar os problemas, a Unick contratou recentemente o escritório Nelson Wilians Advogados Associados (NWADV), o mesmo que defendeu Cláudio Oliveira e o grupo Bitcoin Banco.

O objetivo da contratação, segundo a Unick, é regularizar os pedidos de cancelamentos, que serão realizados através de acordo extra judiciais.

Leia também

Quer receber as principais notícias e análises? Coloque seu e-mail abaixo!

Este conteúdo é de propriedade do Portal Bitcoin

Autor: Diário Bitcoin

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui